Altcoin: Nome dado as moedas alternativas ao bitcoin. Exemplo: Litecoin, Dogecoin, Dash, etc.

ATH: O preço máximo que uma determinada criptomoeda já atingiu.

Ativo: Se refere a qualquer coisa que forme os bens de uma pessoa. Por exemplo, se você tem R$ 3.000,00 na sua conta bancária, esses são os seus ativos nesse banco. No caso das criptomoedas, chamamos de “Ativos Digitais”.

Baleia : Detentor de grande parte de uma determinada moeda, a baleia é um usuário que centraliza a moeda controlando o preço dela.

Bear: Do inglês, “Urso”. O “Bear” é o investidor que crê na queda do preço da criptomoeda à qualquer momento. Com isso, o Bear vende seus ativos antes que desvalorizem demais. Quando dizemos que um mercado é “Bearish”, quer dizer que naquele momento há mais ordens de venda do que de compra.

ABRA SUA CONTA E COMECE A INVESTIR EM CRIPTOMOEDAS.

Blockchain: A blockchain também conhecida por protocolo da confiança, é uma tecnologia de registro distribuído que visa a descentralização como medida de segurança. É vista como a principal inovação tecnológica do Bitcoin visto que é a prova de todas as transações na rede. Registra e guarda todas as transações feitas na história do Bitcoin.

Bloco Genesis: O primeiro bloco do Bitcoin, minerado por Satoshi Nakamoto.

BTC: Abreviação da unidade monetária do bitcoin.

Bull: Do inglês, significa “Touro” e é exatamente o contrário do “Bear”. O bull é o investidor que crê na evolução do preço da criptomoeda. Esse usuário aposta em comprar a moeda na baixa para fazer lucro quando o valor subir.

Carteira: Em inglês Wallet, é onde o investidor pode guardar suas moedas digitais de forma mais segura até o momento de venda e/ou troca.

Cold storage: Movimentação de criptomoedas offline, ou seja, armazenar as criptos em carteiras de papel.

Dump: Quando o preço de uma criptomoeda desce inesperadamente.

Exchange: (corretora) Local utilizado para troca entre criptomoedas e outros ativos, por exemplo, trocar real por bitcoin. Exchange de bitcoins são utilizadas para trocar bitcoin por moedas FIAT ou outras criptomoedas.

Fee: Refere-se a taxas, que pode ser taxa de conversão, transferência ou de saque, etc.

Fiat: É o dinheiro fiduciário, ou seja, aquele que não é criptomoeda, como o Real, Dólar, Euro, Iene, etc.

FOMO: Fear of missing out, em português: medo de perder uma oportunidade que pode gerar lucro.

Fork: Atualizações nos códigos de criptografia das moedas geram uma bifurcação, chamada de Fork. Uma nova moeda gerada a partir de outra, como o Bitcoin Gold que é um fork do Bitcoin.

HODL: É um meme, o correto seria Hold – de “segurar”, do inglês, que é quando você mantém seus ativos, mesmo na baixa de preço, pois acredita que será valorizado futuramente.

Hype: É uma palavra usada sempre que algo está na nova onda popular. Por exemplo: “O Bitcoin é a nova hype do momento”. 

ICO: Initial Coin Offering, em português, Oferta Inicial de Moeda. É um sistema criado para arrecadar fundos para uma start-up ou empresa. Normalmente elas surgem com “ideias revolucionárias ou únicas” que são aplicadas em cima de uma blockchain. Atenção: ICOs também podem ser Scams.

Ledger: O ledger é um registro compartilhado de informações, a exemplo um livro caixa de um banco, um livro onde ficam registrados todas as transações financeiras feitas em um banco, o ledger seria um local onde ficam registradas as transações feitas por criptomoedas, que passam pela Blockchain.

Liquidez: É a capacidade de comprar ou vender um ativo facilmente, mesmo em grandes quantidades.

Marketcap : Em português: capitalização de mercado. Quantidade de criptomoeda circulante X preço da cripto.

Mineração: É o ato de realizar cálculos matemáticos. Quando um computador realiza esse cálculo criptográfico ele recebe uma recompensa em  Bitcoin. Dizemos que ele está minerando.

Ordem de compra/venda: MARKET: Ordem de mercado que realizará aquela compra independente do preço que estiver.

Ordem de compra/venda: STOP-LIMIT: Funciona assim, vc escolhe um preço e diz pro sistema “no momento em que a moeda atingir X dólares você colocará uma ordem LIMITADA de Y dólares”.

P2P: Significa peer-to-peer, em português: ponto-a-ponto. O Bitcoin foi projetado como um sistema peer-to-peer, ou seja, que não precisa de intermediários, como bancos centrais, para intermediar uma transação entre duas pessoas. No mercado, este termo é usado para descrever comercialização de criptomoedas entre duas partes, sem a necessidade de uma exchange.

Scam: Gíria para golpe ou sites fraudulentos.

São sites que surgem na internet prometendo altos rendimentos com investimentos em várias tipos de plataformas. Normalmente duram dias, meses ou, quando muito, anos até que sumam com o dinheiro de seus investidores sem deixar rastros.

ShitCoin: É o termo utilizado para classificar moedas scams, com baixa ou nenhuma reputação na comunidade. 

Token: Normalmente os tokens são confundidos com criptomoedas, porém existem diferenças. As criptomoedas são moedas criadas com o propósito de serem moedas, já os tokens são criados para serem distribuídos a pessoas com promessas de valerem algo no futuro. Comparando ambos ao mercado convencional de investimentos, as criptomoedas poderiam ser moedas como USD ou EURO, já os Tokens seriam as Ações de uma empresa.

Trade: Operação de compra e venda de alguma criptomoeda. Quando você deposita 100 reais, compra X Bitcoin e depois vende, você está fazendo uma operação de trading.

Volatilidade: Movimentos dos preços de um ativo. Se o valor do ativo sobe e desce com muita frequência, às vezes até de diferenças de preço grandes, diz-se que o ativo tem alta volatilidade.

Withdrawal: Retirada de algum valor, como um saque.

XBT: Representa a unidade monetária do bitcoin.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Powered by WhatsApp Chat

×